segunda-feira, 1 de setembro de 2008

O Reino Proibido


Sempre gostei de filmes de artes marciais, desde os mais realistas aos mais fantasiosos. Em minha adolescência, passava as noites de terça-feira assistindo a extinta "Sessão Kickboxer" na Band, com seus filmes de chineses voadores, onde as artes marciais pareciam mais um balé, com belas coreografias ensaiadas. Os roteiros destes filmes não eram grandes coisas, os personagens eram bem planos, mas carismáticos. Em suma, filmes despretensiosos, feitos pra divertir mesmo.

Neste estilo de filmes, dois astros sempre chamaram a atenção: Jackie Chan, com suas acrobacias mirabolantes e a dispensa de dublês, e Jet Li, com suas lutas fantasiosas, quase parecendo saídas de um anime. Qual fã de filmes de pancadaria nunca quis ver os dois trocando golpes? Pois bem, seu sonho se tornou realidade!

O Reino Proibido é um filme que resgata a inocência de filmes de aventura da década de 80 e início da década de 90, que foram bem marcantes na minha infância. O roteiro não possui nada de muito inovador, sendo bem "Sessão da Tarde", mas todo o seu climão oldschool nos faz esquecer totalmente disso. O filme é divertido, e acho que, neste caso, isto basta.

Aqui, conhecemos Jason (Michael Angarano), um jovem nerd fã de cultura oriental e filmes de artes marciais. Como se espera, apesar de possuir um grande conhecimento sobre artes marciais, Jason não sabe lutar e vive sendo perseguido pelos valentões da escola. Um dia, durante uma visita a uma loja de artigos orientais, onde costuma comprar filmes de kung fu, administrada por Hop, o típico velhinho oriental sabichão, Jason encontra um bastão dourado, que, segundo o ancião, pertenceu ao lendário Rei Macaco, um poderoso e irreverente guerreiro que desafiava os exércitos de Jade na China antiga, transformado em pedra pelo impiedoso General Supremo de Jade (Collin Chou), que invejava suas habilidades. Durante uma perseguição dos valentões da escola, Jason acaba sendo transportado pelo bastão dourado para a China antiga, onde conhece o monge bêbado Lu Yan (Jackie Chan) que diz que Jason precisa devolver o bastão ao seu dono, o Rei Macaco, para que este possa derrotar o General Supremo de Jade, que oprime o povo desde a partida do Imperador. Unem-se ao grupo o minge silencioso Sun Wukong (Jet Li) e a bela assassina Pardal Dourado (Liu Yi Fei), que deseja se vingar do General pela morte de sua família. Como aliada, o General tem a bruxa assassina de cabelos brancos Ni-Chang (Li Bingbing), que deseja obter a imortalidade.

O filme segue um estilo totalmente fantástico. Lutas impossíveis, e, como dito acima, os personagens são planos, porém carismáticos, contando a velha história do garoto nerd que aprende artes marciais para superar seus desafios. Em certos momentos, chega a lembrar o clássico Karate Kid. Se espera um filme sério e com uma trama mirabolante passe longe. Este é um filme do tipo "desligue o cérebro e divirta-se".

Outra coisa que não pode deixar de ser citada é a bela direção de arte do filme. A fotografia é belíssima, e a China antiga se torna um maravilhoso cenário. O filme também possui várias referências, diretas e indiretas, a jogos de videogame (como Street Fighter e Virtua Fighter) e outros filmes de artes marciais.

Por fim, é um filme fantástico e divertido. Se procura uma boa diversão para o fim-de-semana, assista este filme e divirta-se.

3 comentários:

Saikyo disse...

Interessante, eu tinha lido que ia ser uma adaptação da lenda do rei macaco original, mas colocaram um personagem "de outro mundo" no meio hehe.

Vou procurar depois, valeu pela sugestão.

Carla disse...

Cara, adorei tb! =D
E olha que eu nem sou tão fã de filmes com lutas, mas esse é realmente mto bom!
O que eu achei mais interessante foi justamente a abordagem da lenda do Son-Goku. Agora, aqui entre nós, aquela peruquinha não me convenceu! XD

Fabrício S. Lopes disse...

huahua deve ser divertido e bem lol
back in timeeeee