quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Videogame nacional - será que dá certo?


Há alguns dias atrás, a TEC TOY, empresa nacional que trabalha com jogos eletrônicos e responsável pelo comércio e linceça dos antigos consoles da SEGA (Master System e Mega Drive - e sim, eles ainda são vendidos por aqui) aqui no Brasil, anunciou a criação de um videogame 100% nacional, o Zeebo.

Com lançamento programado para o primeiro trimestre de 2009, e com preço inicial de R$599 o Zeebo inova por não usar CDs, DVDs, cartuchos ou qualquer mídia externa para seus jogos. O apaelho virá equipado com um chip 3G, reconhecido automaticamente ao se ligar o console em alguma TV, e seus jogos seriam comprados de forma online pela rede Zeebo.net3G e custariam entre R$9,90 e R$29,90. O console tem uma memória interna de 1GB para o armazenamento dos jogos, e várias softhouses como a SEGA, CAPCOM e NAMCO já teriam anunciado que desenvolveriam jogos para o Zeebo, que pode ser visto em ação aqui.

Tudo parece muito bem, e acho muito legal que a indústria brasileira esteja tendo alguma iniciativa no sentido. Mas será que isso cola?

Vejamos. A Sony, que nas duas últimas gerações de videogames dominou o mercado com seu Playstation e o Playstation 2, anunciou que também venderá oficialmente seus consoles e jogos no Brasil. Tendo o Play2 (e provavelmente o Play3, em breve) com toda sua biblioteca de jogos, que inclui sucessos como God of War, GTA e Tekken, será que o Zeebo terá uma vida muito longa? Sem contar que o preço do Zeebo (que parece ter um poder de jogo similar ao de um Play1) será muito próximo ao do Play2, o que é mais um ponto a menos para o console.

O que pode trazer uma chance de vitória ao Zeebo é seu potencial online. Se forem lançados para ele sucessos dos jogos de luta como Street Fighter ou The King of Fighters, com a possibilidade de disputas online, será uma imensa vantagem. O mesmo vale caso para jogos de esporte ou RPGs online. Jogos traduzidos ou com apelo nacional também podem ser uma chave para o sucesso.

Mais sobre o Zeebo pode ser visto em uma discussão aberta no Forum Fighters.

Sinceramente, estou torcendo para que o console dê certo, mas agora nos resta apenas torcer que a TECTOY esteja de fato preparada para entrar neste mercado de gigantes que é a indústria dos games.

4 comentários:

Rafael disse...

Esse sistema online vai ser bem legal se implacar, mas as lans house estão ganhando todo o território....eles vão domiar o mundo...fnord

Marcelo disse...

Por aqui já rolaram váris tentativas de valorização do produto nacional. Acho, Marcus que duas coisa definirão o sucesso desse produto. Os recursos de que irá dispor e a compatibilidade.
Nisso, tecnologia, acho que temos a aprender com os chineses. Os DVDs europeus são cheio de frescura. Só roda na europa, só roda com europeus.. já os chineses fazem um DVD que roda até fita cassete..
rs
É vamos aguardar

Fabrício S. Lopes disse...

tomara q de certo.. ^^

Laila disse...

Podiam ter escolhido um nominho mais tupiniquim...
Zeebo é tão... sei lá.
Tomara que dê certo. Podia ser mais barato também, já que seria sem taxa de importação.